segunda-feira, janeiro 28

A crise do gentil

amar amar amar mara aram rama amar amar amra mraa raam aamr amra amar amar a m a r r r r m a m m m m aaar

Amar AMar AMAr AMAR
AMAR aMAR amAR amar

a-a-a-a-a-m-m-m-m-m ammm amm am a. rrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr

ama-r-ama-m-ama-a-ama. amar 1 amar 2 amar 918739302

amar sómente
sómente amar

"...são os amores que tenho por minha mãe e pai, por meu irmão, por aqueles que faleceram, por aqueles que me abandonaram, o que sinto por mim mesmo, os que sentí e perdí e os que eu nem se quer cheguei a descobrir, amores amigos e quase fraternos, amores quentes e amores utópicos, amor que sinto pelo que odeio e odio que sinto pelo que amo e até mesmo amores que tenho por ainda não te amar como eu queria..."

terça-feira, janeiro 22

"Abra los Ojos"

Não chore, tão pouco se perca em lamúrias e pesares.
Se não há mais caminhos, os invente.
Isto é ser racional!

quarta-feira, janeiro 16

Mmmm

Há resonância entre momentos singelos e a criação do universo?
Sim, há!

Precisa-se de patrulheiros universais para os cargos de laternas verdes.
Não seja nojento, ame a teu próximo como a tí mesmo (vide bíblia), não se importar com a opinião segmentada de alguns, é plausível, mas esquecer que todos nós iremos calgar para o mesmo destino é fraco de sua parte.

Não quero que o mundo esteja a salvo, só que as vias públicas estejam limpas, que nossas árvores continuem existindo para que haja quem mije nelas e que mesmo que você esteja querendo correr daquele mendigo extremamente inconveniente que mora na sua rua de trás, dê a ele cinco minutos de sua atenção, talvez a vida dele não seja tão facil/confortável quanto a sua, pois não traçamos como objetivo viver sem rumo. Assim quando for reclamar do antro sub-tropical (vide país) em que vive, dos senhores "nozes" que estão no senado e todo o resto, alguém queira mesmo lhe dar cinco minutinhos de atenção, pois para eles você não passa de um mendigo!

GREENPEACE-TERRORISM

sábado, janeiro 12

Desejo veemente de possuir

INVEJA!

Quase um demônio mitológico. É interessante suas vertentes e como reagimos abstratamente a essa questão. Sejamos claros, abominamos o fato de ser invejado e condenamos este ato, como um pecado de caracter mortal. Onde estão as tais heresias nisso?!?

Assim como gostamos de apontar o dedo na cara de todos, proporcionalmente, temos memória muito conveniente ao que nos cabe. Serei mais claro, nenhum ser está disoluto ou abstraído de sentir cobiça (ou inveja, como queiram!). Seus desejos estão completamente fora do que tem em mãos! O que se é ou o que se tem, pode satisfaze-lo mas tão rapido terás a necessidade de mudança e acorrentado a isso, há alguém que esta na condição exata que você queria estar!

Meus argumentos não são para lhe convencer, cada um com sua cegueira-opcional, mas fatos estão aí nada a se contestar, acredite, hipocrisia demais engorda!

Me peguei num ato extremamente invejoso, certa dita. Estava a cobiçar relações, comportamento, tendências e todo o resto da vida de um amigo (se é que posso considera-lo assim). Minha mente não parava de imaginar-me em seu lugar e como isso me daria intenso prazer. Não tenho problemas com os meus pecados, gosto de decadência, isso faz parte da "ser-humanisse". E assumi-los tem duplo-beneficio, me faz ter mais proximidade com o que minha concepção acredita ser decência e prova que não sou o unico invejoso nesta "porcaria"!

Venha cá, tem certeza mesmo que é "merchandise"?
Simples e correto, nada de mascaras queridos, o que chama atenção na nossa faminta era contemporanea é o "reality"! (PS: I'm Not american dude, ok?). Estrangeirismos a parte, chupem estas delicias contidas no videoclip a seguir - um perfeito resumo de tudo que foi dito - I'm perfect!


sexta-feira, janeiro 11

Escapes delíciosos

Todos fugimos e eu também tenho minhas fugas, dentre tantas as quatro principais.

Placebo: "Proteja-me.
É a doença do momento
A epidemia que se estende
A festa está acabada nós descemos
os pensamentos que congelam a razão
Pálpebras fechadas, rostos cinzas
surgem os fantasmas de nosso leito
Nós abrimos a fechadura da grade
do pardieiro que chamávamos de casa"

Girl, Interrupted: “Ser louco não é estar quebrado, ou engolir um segredo sombrio... É ser como você ou eu... amplificado, se você já contou uma mentira e gostou, se alguma vez já quis ser criança para sempre. Elas não eram perfeitas mais eram minhas amigas e nos anos 70, a maioria já tinha saído e vivia sua vida. Algumas eu revi, outras nunca mais. Mas não passa um dia sem que meu coração as ache."

Piercings and Snakes: "Split Tongue"

V for Vendetta: "Pelo poder da verdade, eu enquanto vivo conquisto o universo"

terça-feira, janeiro 8

Umas mentiras

Uma calçada molhada com as luzes dos postes refletindo o chão. Uma velha caminhando com sua bengala vinho sob o paralelepipido escorregadio.

Ela pensa nos remédios que terá que tomar quando chegar em sua casa, uns seis ou sete para suas enfermidades. Cansada de se locomover e de ter tantas lembranças, a vida passou e não lhe restou ninguém. Avista um homem sentado a fumegar algo qualquer, lembra-se de seu primeiro marido e suas manias irritantes.

Continua cansada, sente que será sua última caminhada pelas noites a fugir de seu cárcere privado e você sabe bem o que vai acontecer. Sente que vái terminar doloridamente lhe pregando uma boa lição de vida.

Não vai terminar assim, a velha não chegou a lugar algum ela nem se quer morreu, ela nem chegou a existir de fato. Você esta se deparando com minhas fábulas imaginarias baseadas em dor e realismo. Agora quem me garante que esta velha não adquiriu vida enquanto você a imaginou, nos segundos que você a visualizou ela teve vislumbres de consciência. E por mais que isso não signifique nada, ela sempre viverá dentro de sua mente que, somente arquivará isso e daqui a instantes enfiará esta lembrança dentro de qualquer lugar que você nunca possa encontrar.

Pense, ela viveu dentro de sua vida e sub-existiu dentro de sua inconsciencia!
E quanto a mim?

Ainda não vivi em consciencia nenhuma além da minha própria.
Me dê alguns segundos dentro dela?

"Acho que te vi em uma sorveteria
Bebendo milkshakes gelados e longos
Sorrindo e acenando e olhando tão gentilmente
Acho que você não sabia que estava nesta canção..."
Five Years - Placebo

domingo, janeiro 6

A cura

Sente irrefutavel dor, dores contrativas e agúdas, dores vindas de todos os tempos e distâncias.
Dores das mães dando a luz e perdendo seus amados filhos.
Dor simples de perda, esta que sente quando não encontra seu CD predileto ou seu selo da sorte.
Dor de ser multilado, ardendo suas víceras, parte de sí.
E quando esta parte de sí vive em outro ser?

Assim não se tem como impedir ou vigiar para que não percam. E quando seus amores perdem-se?
Nada nos fará encontrar aquilo que incialmente víamos. Que dentro do silêncio de cada ato seja instaurado doce aliança. E assim a cura não existirá.


[Claude Oscar Monet - Nenúfares]
Setenciem-se assim como ele nos faz querer sentenciar, assim como eu mastigo delicadamente cada parte de suas pinceladas.

Perder é inevitável, feche suas percepções e não se permita sofrer

Dos eficazes

  • “Eu sugiro a todos os meus amigos que eles parem de ver as notícias, porque as notícias tramam para te amedrontar, para te fazer sentir pequeno e solitário...
  • Recentemente o Governo Federal lançou a campanha “Vai ter Copa” nas redes sociais. Governo e seus apoiadores imediatamente começaram a produzir artig...
  • Aquele cansaço incomum resolveu,enfim, abandonar o meu corpo. Desde a minha primeira caminhada, senti uma certa renovação. Mas será mesmo que estou curad...
  • Medo de amar? Parece absurdo, com tantos outros medos que temos que enfrentar: medo da violência, medo da inadimplência, e a não menos temida solidão, que...
  • Existe uma terra perdida, no meio do nada, chamada por muitos de Deserto Maldito. Chamam-no assim porque, apesar de lá existir várias árvores e um grande l...
  • Quem nunca teve?! E os temas são os mais diversos, dependendo do gosto (trauma) do cidadão... Os termos é muito legado à BDSM (Bondage, Dominação, Sado & M...
  • O amor é uma espécie de preconceito. A gente ama o que precisa, ama o que faz a gente se sentir bem, ama o que é conveniente. Como pode dizer que ama uma p...